Digamos que você mora sozinho e ao chegar em casa e ligar o interruptor descobre que a lâmpada da sala queimou.

Você precisa trocar a lâmpada, mas não sabe como se faz isso pois sempre morou com seus pais e nunca trocou nenhuma lâmpada.

Então você liga para o seu pai e ele lhe dá as instruções:

– Pegue uma escada.

– Suba na escada.

– Gire a lâmpada que está no bocal até que ela fique solta.

– Retire a lâmpada.

– Desça a escada.

– Jogue a lâmpada queimada no lixo.

– Pegue a lâmpada nova.

– Suba a escada novamente.

– Coloque a lâmpada nova no bocal e gire até ficar firme.

– Desça a escada.

– Ligue o interruptor.

 

A luz ascendeu? Então a sua operação está concluída.

Se você entendeu as instruções e foi capaz de segui-las, então você fez exatamente o que um software faz o tempo todo enquanto seu computador, celular e outros gadgets estão ligados: você seguiu um algoritmo.

Um algoritmo é um conjunto finito de regras que provê uma sequência de operações para resolver um tipo de problema específico. No caso do exemplo acima, o algoritmo levou você a conseguir ter a luz da sua sala acesa novamente.

É importante frisar que os algoritmos não são a solução do problema, mas sim, o conjunto de passos que vão ajudar a chegar à solução. Existem várias formas de chegar à solução, vários passos que podem levar a um mesmo resultado.

Ainda conforme o exemplo que demos no início deste artigo, seu pai poderia ter lhe dito para pegar um banco ao invés de uma escada. Seria um passo diferente, que ajudaria você a chegar à mesma solução: a troca da lâmpada da sua sala.

Programação de Softwares nada mais é do que trabalhar com algoritmos. O programa de software precisa seguir uma sequência de passos para fazer o computador realizar exatamente aquilo que desejamos. Ou seja, programação é um conjunto de operações necessárias para, a partir de dados de entrada, obter um resultado que será disponibilizado por algum dispositivo de saída.

 

Características de um algoritmo

Quando falamos de algoritmos para a programação de softwares, quanto menor a sequência de passos a serem seguidos, melhor será o seu algoritmo.

Para que seu algoritmo seja eficiente é preciso que ele dê as instruções ao programa de forma clara, bem definida e não ambígua.

Um bom algoritmo possui algumas características, dentre as quais destacamos:

– Ele tem que ter fim – para poder resolver o problema precisa ser finito.

– Não ambíguo – sem margem para dupla interpretação.

– Capacidade de receber dados de entrada do mundo exterior (interação).

– Poder gerar informações de saída para o mundo externo ao do ambiente do algoritmo.

– Ser efetivo (etapas descritas devem ser alcançáveis em tempo finito).

 

Como operar com algoritmos

 

Os algoritmos descrevem as etapas que precisam ser efetuadas para que um programa de computador execute as tarefas que lhe são designadas.

Eles podem ser escritos de diversas formas. As mais utilizadas são:

– Pseudocódigo

– Fluxograma

– Diagrama de Chapin

– Descrição narrativa

Os tipos de algoritmos mais comuns em programação de softwares são o pseudocódigo e o fluxograma.

 

Pseudocódigo

O pseudocódigo utiliza uma forma mais estruturada, assemelhando-se àquelas utilizadas pelas linguagens de programação. O pseudocódigo não segue um padrão definido, portanto, qualquer um pode escrever seu pseudocódigo da forma que bem entender desde que ele transmita a ideia central da lógica da programação.

 

Fluxograma

Fluxogramas têm o mesmo objetivo dos pseudocódigos, a única diferença é que os fluxogramas são representações gráficas. A vantagem principal dos fluxogramas é que, diferentemente dos pseudocódigos, eles são padronizados. Ou seja, cada símbolo representa uma ação específica e sempre representará. Um fluxograma usa linhas para ligar seus elementos, criando assim, um caminho que deve ser seguido.

 

Outras formas

O exemplo que demos no início deste artigo era um algoritmo em descrição narrativa. Esta forma não é muito utilizada em programação de softwares, pois pode ser ambígua e dar margem a interpretações erradas. O estilo Diagrama de Chapin mostra a solução por meio de quadros organizados hierárquica e estruturadamente e também não é muito utilizado, pois vários procedimentos tornam-se difíceis de serem mostrados por meio deste diagrama.

 

Aprendendo na prática

Tudo o que escrevemos neste artigo são explicações sobre o que são e como são escritos os algoritmos. Para que você aprenda como utilizá-los é preciso praticar.

Algoritmos você não consegue aprender lendo ou estudando. A leitura ajuda a compreender o que eles são, mas você só conseguirá criar seus algoritmos se começar a praticar.

 

Acesse aqui o nosso Mini-treinamento de Lógica de Programação (Video-aula + PDF com Exercícios) >>

 

Desejamos sucesso e se você quiser aprender mais a fundo sobre programação de softwares nós temos os melhores treinamentos para você, começando por este curso de Lógica de Programação da Apex Ensino.

Boa sorte!